Imagem de Morungaba Imagem de Morungaba Imagem de Morungaba Imagem de Morungaba
Prefeitura reforça decisão do Governo do Estado e estabelecerá quarentena
21.mar

Prefeitura reforça decisão do Governo do Estado e estabelecerá quarentena

O prefeito de Morungaba, Marco Antonio de Oliveira, no final da tarde deste sábado (21/3), anunciou novas medidas para a prevenção do Novo Coronavírus (Covid-19). As determinações serão oficializadas por meio de decreto a ser publicado nesta segunda-feira (23/3).

Após reunião com a Polícia Militar, vereadores e Defesa Civil sobre as medidas do Governo do Estado, o prefeito Marquinho, acompanhado do vice-prefeito Luis Fernando Miguel, transmitiu ao vivo pelas redes sociais as novas medidas que deverão entrar em vigor no dia 24 de março (terça-feira). As medidas visam proteger a saúde pública e reduzir a disseminação do vírus.

Segundo o prefeito, ficará determinada em Morungaba, assim como em todos os outros municípios paulistas, a obrigatoriedade da quarentena. Os estabelecimentos comerciais considerados “não essenciais” para o abastecimento deverão permanecer fechados até 7 de abril. Serviços essenciais como os de alimentação, abastecimento, saúde, bancos, limpeza e segurança prosseguem funcionando.

O fechamento do comércio atinge todas as lojas com atendimento presencial, inclusive bares, restaurantes, cafés e lanchonetes. Estabelecimentos que servem alimentos e bebidas em mesas ou balcões só poderão atender pedidos por telefone ou serviços de entrega.

Segundo o governador do Estado de São Paulo, João Doria, a quarentena não afetará o funcionamento de indústrias, e nos serviços de saúde, está liberado o funcionamento de hospitais, clínicas – inclusive as odontológicas – e farmácias. No setor de alimentação, podem funcionar supermercados, açougues e padarias – que não poderão permitir o consumo no estabelecimento durante a quarentena.

A equipe do setor de Vigilância do Departamento de Saúde da Prefeitura de Morungaba percorrerá por todas as empresas do município, a partir de segunda-feira (23/3) para verificações, procedimentos de triagem e orientações. Ainda de acordo com dados do Governo do Estado, no setor de abastecimento, poderão atuar normalmente transportadoras, armazéns, postos de combustíveis, oficinas, transporte público, táxis, aplicativos de transporte, serviços de call center, pet shops e bancas de jornais. Os demais setores que poderão oferecer serviços durante a quarentena são: empresas de segurança privada; empresas de limpeza, manutenção e zeladoria; bancos, lotéricas e correspondentes bancários.

O prefeito Marquinho informou que a Defesa Civil e a Polícia Militar realizarão um trabalho intensivo nas ruas para manter as determinações relativas aos estabelecimentos  e prestadores de serviços considerados “não essenciais” e os casos de descumprimento resultarão em suspensão do alvará.

“Quanto à colocação de barreiras, estamos buscando tratativas com o DER desde a última sexta-feira. Esta operação depende da autorização do DER já que Morungaba é cortada por uma rodovia estadual, interligando diversos outros municípios. Se não for possível realizar este tipo de operação, estaremos executando barreiras  voltadas  ao controle do fluxo dentro da cidade, o que será definido durante esta semana”, explicou.

O prefeito Marquinho informou também que a equipe da prefeitura já está empenhada para aquisição de equipamentos como os termômetros infravermelhos para o controle de temperatura das pessoas que chegam à cidade e pediu aos munícipes que somente saiam às ruas em casos de extrema necessidade e que não estoquem alimentos – já que os supermercados estarão funcionando. “Serão medidas rígidas, mas necessárias pois é urgente preservar a saúde de nossa população”, disse.

O secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann Ferreira, informou que o estado contabilizava 396 casos confirmados de COVID-19 e 15 mortes – todas na capital – em decorrência da doença até o início da tarde deste sábado (21).